É hora de saber como o uso consciente e otimizado dos insumos pode impactar a lucratividade da sua fazenda positivamente

insumos---conhecer-o-caminho

Não é por acaso que é cada vez maior o coro que defende a seguinte tese: em breve, toda a agricultura brasileira será de precisão.

É uma necessidade tangível e sensível ao cotidiano de quem vive do campo, independente se é um consultor agrícola, pequeno produtor ou diretor de uma grande usina.

Otimizar os processos, tornar a cadeia produtiva mais eficiente, diminuir os custos e aumentar a lucratividade. Tudo isso é possível seguindo a trilha que a agricultura de precisão está traçando no cenário agro brasileiro.

Um dos principais aspectos positivos da agricultura de precisão é a riqueza de detalhes permitida por ela no conhecimento do solo, suas características e necessidades.

Isso reflete no bolso e na produtividade, é claro. E isso fica claro na hora de investir nos insumos, e é hora de entender a razão disso. Fique atento, abra seus horizontes e potencialize ao máximo a sua produção.

 

Adeus ao tradicional

Quando se entra no universo da agricultura de precisão, é hora de quebrar paradigmas e deixar as relações com a agricultura tradicional no passado.

A AP é pautada estritamente no uso da tecnologia em benefício do campo e do produtor, unindo conceitos como imagens de satélite, geoestatística e interpolação de dados. Isso tudo soa muito complexo? Talvez sim, talvez não.

A verdade é que a nova geração dos softwares para agricultura de precisão une estes e outros preceitos técnicos em prol do produtor, de maneira simples, intuitiva e de fácil manuseio.

Um bom exemplo disso é o método da geração da grade amostral da plataforma InCeres, por exemplo. Com base na geoestatística, ela define pontos específicos para coleta do solo, diminuindo a quantidade deles mas sem perder a eficiência, pois aumenta a eficácia dos resultados coletados.

Isso resulta em um panorama geral sobre o solo de toda a propriedade. Reunidos todos estes dados, são gerados os mapas de recomendação, que mostram em todos os detalhes as necessidades de cada talhão da propriedade.

Isso permite um entendimento extremamente preciso sobre as necessidades nutritivas do solo, bem como indica as correções específicas que cada parte necessita.

Este é o foco principal: entender que o solo não é uniforme, que suas necessidades não são iguais em toda a sua extensão e que, é claro, elas não podem ser corrigidas da mesma maneira

 

Correção com precisão

Compreendidas as necessidades nutricionais do solo, indicadas quais as correções que são necessárias para otimizar a produção, é hora de colocar a mão na massa.

Este é o momento onde o investimento financeiro começa a se tornar consciente. A plataforma indica, literalmente com precisão, as correções necessárias em cada talhão do terreno.

Isso elimina o antigo processo de uniformizar, por exemplo, a aplicação de adubo em todo terreno, com a mesma quantidade em toda sua extensão, ou a correção dos nutrientes do solo, equalizando os níveis sem distinção.

A realidade agora é outra: você tem o poder nas mãos para saber aonde é necessário um investimento maior em adubação, aonde isso não é prioridade, qual parte merece maior atenção para correção da nutrição e como será feito este processo.

E o benefício vai muito além disso. O entendimento sobre as características do solo permite que você conheça o máximo potencial que pode extrair dele, conseguindo então conviver com todos as áreas produzindo ao seu máximo.

É hora de dar adeus ao gasto desnecessário com insumos nos talhões mais produtivos da área e concentrar o foco nas partes com maior deficiência, corrigindo-as e otimizando sua qualidade.

O resultado: a área completa em harmonia, bem nutrida e potencializada para produzir ao máximo!

 

Potencializando a produção

O solo já foi coletado, analisado, os resultados obtidos e as correções feitas. E agora?

E hora de esperar o resultado dar as caras visualmente e marcar mais um ponto a favor da agricultura de precisão.

A diferença é nitidamente visível: com a correção otimizada pela agricultura de precisão e a aplicação de insumos e corretivos na medida certa, a lavoura vai produzir mais e com todas as suas partes produzindo o máximo que sua nutrição permite.

Todos as partes do solo foram tratados de maneira individual, respeitando suas necessidades e as corrigindo, portanto estão equalizados e aptos para produzir paralelamente cada vez mais.

Toda a cadeia produtiva foi reorganizada e otimizada, os problemas detectados e tratados e a esperança é grande de chegar aos números finais de produtividade…

 

Produtividade em alta…

insumos agrícolasChegamos à “prova dos 9” de todo este processo de otimização no uso de insumos. Passado todo este processo, seguidas à risca todas as etapas anteriores, a quantidade final, a produtividade da lavoura realmente aumenta?

A resposta é: sim.

Nada mais do que um sim é esperado após este processo, já que tudo o que foi planejado no processo de implementação da agricultura de precisão no campo foi efetivado.

É nessa hora que todo o esforço para se colocar o projeto em prática se faz viável, pois os números finais da produção da cultura crescerão com relação à safra anterior, já que as necessidades do solo foram compreendidas, corrigidas nos locais certos e a produção pode ser otimizada ao máximo que as áreas permitem.

O crescimento da plantação prova que os preceitos básicos da agricultura de precisão – detecção das individualidades e necessidades de cada parte do solo, bem como conviver com os diferentes potenciais do solo – são efetivos na aplicação dos insumos.

E é uma conta básica e que deixa o consultor, produtor ou gestor da usina muito feliz: conhecimento sobre o solo gera o investimento correto em insumos, sem desperdícios, que gera economia no bolso logo no início do processo.

Economia no princípio, lucratividade no final: com o solo tratado e corrigido de acordo com sua variabilidade, cada pedacinho de chão produz em seu potencial máximo e aumenta a produtividade final da lavoura.

 

… desperdício em queda!

 

insumos agrícolasMuito bem, a lavoura produziu mais, o investimento se provou satisfatório e a produtividade da lavoura aumentou. É hora do responsável pelo processo olhar para trás e entender o porquê isso ocorreu.

Não há segredo, muito menos enrolação. A mais pura verdade é que isso tudo serviu para a agricultura de precisão mostrar o seu real valor ao lado do produtor, independente da cultura ou tamanho da propriedade.

A tecnologia que permitiu entender, com ajuda da nova geração dos softwares para agricultura de precisão, quais as características do solo em diferentes talhões, suas deficiências e maneira certa de combate-las, é o que permitiu este benefício para quem produz.

Uma determinada área precisa de uma correção de nutrientes X, e esta de uma ação Y… Este lado carece de maior atenção à adubação e este não. Isso “liberta” o processo e desmistifica o conceito de que o solo é totalmente igual.

A agricultura de precisão permite conhecer e conviver com as variabilidades do solo, explorando estes diferentes panoramas da melhor maneira possível e otimizando a produção final. É o gerenciamento das diferenças, ao pé da letra.

Essa liberdade permite uma precisão na hora de adquirir os insumos e aplica-los à cultura, reduzindo custos, aumentando a rentabilidade do investimento e potencializando ao máximo a produção.

 

Você pode gostar também:

5 BENEFíCIOS QUE A AGRICULTURA DE PRECISÃO PODE OFERECER

O QUE PODEMOS ESPERAR DA AGRICULTURA EM 2017?

 

Este artigo foi útil? Compartilhe nas suas redes sociais clicando nos botões abaixo: